Eu tenho pulado dos topos dos prédios pela emoçao da queda, ignorando avisos sonoros e nenhum pensamento sobre as consequencias. Meus ossos estão destruídos, meu orgulho está destruído. E no meio desta dor “auto-imposta”, eu posso ver meu lindo resgate.